ACESSE

"Se a gente desmobiliza as pessoas, o custo de retomada é maior"

Telegram

Acompanhe nossas notícias também pelo Google Notícias.

Acesse nossa página no serviço de notícias do Google e clique em SEGUIR ou no ícone

Em anúncio do balanço das medidas adotadas pelo Ministério da Economia, o secretário-executivo Marcelo Guaranys afirmou que a pasta destinou a maior fatia dos recursos para conter os impactos do novo coronavírus em medidas para preservar empregos e empresas.

Ao todo, foram R$ 524,4 bilhões em programas para a manutenção de empregos.

“É um momento de dificuldade para as empresas. Muitos estabelecimentos estão fechados. Isso deve durar um tempo, não sabemos ao certo. Estimamos dois, três, quatro meses iniciais. Por isso, tomamos medidas que permitam que empresas em desespero não precisem demitir os trabalhadores. Se a gente desmobiliza as pessoas, o custo de retomada é maior.”

Leia também: NOVO CHEFÃO NA SAÚDE: O COMBATE AO CORONAVÍRUS VAI MUDAR?