Se Levy for embora, Dilma também vai

Após o governo assumir que as contas públicas podem fechar 2016 com um rombo de R$ 30 bilhões, parte dos políticos, do mercado e da imprensa afirma que o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, já está com um pé para fora do governo – empurrado pelas próprias forças centrífugas que emanam dos bastidores do Palácio do Planalto. O problema é que aonde Levy for, a presidente Dilma Rousseff irá em seguida. Inclusive, para fora de Brasília. É o que avalia a consultoria Eurasia Group, segundo a qual a queda de Levy eleva, automaticamente, as chances de Dilma não terminar o mandato.

Faça o primeiro comentário