ACESSE

"Será que o funcionalismo poderia dar uma contribuição?", pergunta Guedes

Telegram

Em videoconferência do BTG Pactual, Paulo Guedes afirmou que o salário do funcionalismo público é a terceira torre a ser derrubada pelo governo federal.

“[Com a reforma, conseguimos] 100 bilhões a menos na Previdência. Mais 100 bilhões a menos nos juros. Derrubamos as duas grandes torres, falta a terceira: o salário do funcionalismo público, que cresceu 50% acima da inflação 17 anos seguidos.”

Guedes questionou se os servidores públicos poderiam abrir mão do aumento salarial nos próximos dois anos.

“Aí vem o coronavírus agora. Em meio à pandemia, milhões de pessoas perdendo o emprego, será que o funcionalismo poderia dar uma contribuição? Será que eles poderiam ficar esse ano e o próximo inteiro sem aumento de salários? Será que isso é justo?”

E acrescentou:

“Muita gente chegou a pedir queda de 20, 25% do salário, redução na jornada de trabalho. Tá em casa, funcionário está em casa, pode declarar aí 30% da jornada de trabalho e salário. Não é o que nós pedimos. Achamos mais importante, na deflação, não tirar o poder de compra. Ao contrário, estamos injetando poder de compra. Achamos mais importante travar [o aumento salarial].”

Leia também: NOVO CHEFÃO NA SAÚDE: O COMBATE AO CORONAVÍRUS VAI MUDAR?

Comentários

  • Antonio -

    O governo do PSB da Paraíba, acusado de desvios na saúde, nos deixou 10 anos sem aumento ou recomposição, por que O federal nao pode?

  • Marcio -

    Primeiramente tem que acabar os super salários. Esses sim ,não o coitado que ganha 2 ou 3 salários mínimos .

  • Giselda -

    Pelo que eu saiba há anos que o grosso do funcionalismo público não consegue a reposição das perdas salariais provocadas pela inflação. Medida boba, sem resultados práticos.

Ler 108 comentários