Temer afaga os sindicatos

Há quem argumente que a estabilidade do governo é necessária para aprovar as reformas na economia.

Michel Temer acabou de desistir de uma delas: a flexibilização da jornada de trabalho.

Diz a Folha de S. Paulo:

“Segundo assessores presidenciais, o governo não quer comprar outra briga com os sindicatos, que também têm feito críticas à proposta de reforma da Previdência enviada ao Congresso”.