Temer e a minirreforma (3)

Outras alterações trabalhistas que devem ser anunciadas amanhã são:

– acordos coletivos prevalecerão sobre a legislação em assuntos como trabalho remoto, remuneração por produtividade e registro de ponto;

– possibilidade de parcelar as férias em até três vezes, com pagamento proporcional;

– permissão para negociar jornadas de trabalho diferentes da normal, desde que limitadas a 12 horas diárias e a 220 horas mensais;

– participação em lucros e resultados;

– banco de horas;

– intervalo de folgas, desde que haja limite mínimo de 30 minutos.

As informações são da Folha.

Faça o primeiro comentário