Thomas Piketty recusa a Legião de Honra

O economista francês Thomas Piketty, autor do best-seller “O Capital no Século XXI”, recusou receber uma das maiores honrarias concedidas pelo governo francês — a Legião de Honra, no grau de Cavaleiro. Ele justificou a decisão da seguinte forma: “Eu acabo de ter a notícia de que fui agraciado com a Legião de Honra. Recuso essa nomeação, porque o papel de um governo não é decidir quem é honorável.”  Piketty acrescentou que “eles deveriam se concentrar na recuperação do crescimento na França e na Europa.” 
Piketty, que vendeu 1,5 milhão de exemplares do seu livro, basicamente prega a criação de um imposto mundial sobre o grande capital, a fim de deter a concentração de renda. Uma evidente bobagem que o próprio chama de “utopia útil”.  O seu gesto é uma ação de marketing, visto que a Legião de Honra nada tem a ver com a passada, atual e futura situação econômica. Ele deve aumentar as vendas da sua obra. É também uma maneira de conquistar um cargo no pós-governo Hollande, não importa se o vento virá da direita ou da esquerda.

Faça o primeiro comentário