Um governo que só quer ser governo

A preocupação do governo em continuar a ser governo, deixando de lado o ajuste fiscal, foi responsável pelos seguidos rebaixamentos do rating brasileiro, afirma Alexandre Schwartsman, ex-diretor do Banco Central, em entrevista a O Financista após a Moody’s cortar em dois degraus a nota de crédito do país. Sem o ajuste fiscal, o economista avalia que o país caminha para um quadro de calote “implícito”, via inflação em patamares muito elevados.