"Vamos entrar no seleto grupo de países que têm taxa de juros bastante baixa"

Telegram

O presidente do Bradesco, Octavio de Lazari Júnior, elogiou a indicação de Roberto Campos Neto para o Banco Central, antecipada por O Antagonista.

Ele disse ao Estadão que o principal desafio em 2019 será o controle da inflação com a administração da política monetária.

“Tomara, se a gente tiver um quadro de inflação controlada que não possa correr qualquer perigo, por que não ter uma taxa de juros de 6,25%, 6,0% ou abaixo de 6,0%, de acordo com as condições da economia?”

“Para nós, isso vai acontecer agora, ou pouco mais para a frente, pois vamos entrar no seleto grupo de países que têm taxa de juros bastante baixa”, acrescentou.

A Continuum Economics, consultoria do economista Nouriel Roubini, em relatório, levantou dúvidas sobre o grau de liberdade de atuação de Campos Neto, pondera o jornal.

“Nossa avaliação inicial é de que Campos seguirá a linha de Paulo Guedes no BC, o que não é a melhor perspectiva para um Banco Central que se espera independente. Vamos aguardar pelas indicações dos demais diretores para uma avaliação final”, afirma trecho do documento.

Comentários

  • R.A.F -

    Não tem uma viva alma nesse país que seja mais honesta que um banqueiro...

  • Regina -

    E vamos entrar também no seleto grupo de países cujos bancos cobram taxas de juros super hiper mais baixas???

  • Hoddock -

    Eh unânime que os juros ano vem vão subir.. Onde esse cara vive?

Ler 23 comentários