"Vamos trabalhar para derrotar a reforma", admite líder do PDT no Senado

Como registramos há pouco, o PDT — com 28 deputados e 4 senadores — decidiu hoje fechar questão contra a reforma da Previdência.

A decisão foi unânime. Quem votar a favor da reforma será punido pelo partido com advertência ou até mesmo expulsão.

“Votaremos contra a reforma enviada por Jair Bolsonaro. Não é que sejamos contra a discussão da Previdência. Votaremos contra isso aí que ele mandou”, disse a O Antagonista o líder da legenda no Senado, Weverton Rocha.

Bolsonaro tem a chance de entrar para a história. Mas ele precisa vencer seus principais adversários. SAIBA MAIS AQUI

O senador acrescentou que o texto “está cheio de pegadinhas” e o PDT não concorda com vários pontos, como o BPC, a aposentadoria rural, a idade mínima das mulheres, as regras de transição e a aposentadoria dos militares (cujo texto será enviado ao Congresso na quarta-feira).

“Isso não é reforma, é o fim da Previdência”, atacou.

Perguntado se o partido não está trabalhando com “o quanto pior, melhor”, ele respondeu:

“Não, porque desde o início nos colocamos à disposição para o diálogo. Mas o texto chegou e não existe interlocução, não existe clareza. Essa é uma posição responsável. Vamos trabalhar para derrotar esse texto, para derrotar a reforma.”

Comentários

  • Francisco -

    Ser comunista ganhando 40k de salário fora os auxílios e o roubo é fácil! O mais injustiçado com a previdência atual é o trabalhador pobre da cidade. Manter a mamata rural é uma injustiça !

  • Manoel -

    Senhor tem misericórdia de nossa nação.

  • Dirce -

    Safados, sempre contra o País ! Coloquem esses nomes aqui e faremos c/ o vento.... vamos levá-los aos 4 cantos.

Ler 157 comentários