Expediente

  • Claudio Dantas é jornalista há quase duas décadas. Em 2004, trocou o Rio de Janeiro, onde nasceu, por BrasÌlia. Desde agosto de 2015, comanda a sucursal de O Antagonista. Cursou relações internacionais na UNB, mas se especializou em caçar corruptos em solo nacional. Contribuiu com algumas das principais denúncias que ajudaram a Lava Jato a prender Lula. Trabalhou na agência EFE, Correio Braziliense, Folha de São Paulo e Istoé. Ganhou os prêmios Esso, Embratel e de Direitos Humanos (MJDH).

  • Diego Amorim se formou em jornalismo pela UnB. Trabalhou no Blog do Noblat e no Correio Braziliense. Gosta da notícia e dos bastidores dela em qualquer área. Entre outros prêmios, ganhou duas vezes o Esso de Informação Econômica e duas vezes o Embratel. Está em O Antagonista desde abril de 2016, quando se juntou à equipe para a cobertura do impeachment de Dilma Rousseff. Desde então, não tem dado sossego a políticos de todos os partidos em Brasília.

  • Felipe Moura Brasil nasceu no Rio de Janeiro. Após mais de três anos como colunista da revista Veja, em cujo site mantinha um blog diário, passou em 2017 a escrever em O Antagonista, onde também roteiriza e apresenta o Resumão Antagonista da semana. É comentarista do Jornal da Manhã, na Jovem Pan, e âncora de Os Pingos nos Is, na mesma emissora. Em 2016, foi considerado o maior influenciador político do Brasil no Twitter. Autor da editora Record, organizou “O mínimo que você precisa saber para não ser um idiota”.

  • Rogério Ortega, formado em jornalismo pela USP, trabalhou na Folha de S.Paulo por 26 anos. Foi editor da seção Tendências/Debates, chefe do Programa de Qualidade, redator da Primeira Página e coordenador de reportagens especiais do caderno Mundo, entre outras funções. É um dos culpados pela edição de 2001 do Manual da Redação do jornal, que vigorou até 2018. Juntou-se à equipe d'O Antagonista em agosto de 2017. É também colunista de Crusoé, onde escreve sob o nome de Ruy Goiaba, seu alter ego desde 2001.

TOPO