O Comentarista: Que diferença faz o acordo entre Mercosul e União Europeia?

Nesta sexta (28), Mercosul e União Europeia anunciaram a conclusão de um acordo comercial entre os blocos. O processo de negociação começou há vinte anos, em 1999.

O acordo cria uma das maiores áreas de livre comércio do mundo.

Segundo o Itamaraty, o texto abrange 22 temas, incluindo tarifas, regulações, e também “serviços, compras governamentais, facilitação de comércio, barreiras técnicas, medidas sanitárias e fitossanitárias e propriedade intelectual”.

O Comentarista mostra por que o acordo é importante e que diferença ele faz.

Confira um trecho:

– Por que o Mercosul?

O Mercosul é uma união aduaneira. Isso significa que os quatro países-membros (Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai) devem compartilhar impostos de importação.

Portanto, para que o Brasil reduza a tarifa sobre um produto, os parceiros de Mercosul também devem fazê-lo e vice-versa.

Com a União Europeia ocorre o mesmo: o imposto de importação cobrado em Portugal para um produto X deve ser o mesmo na Itália, na Polônia, na Alemanha, etc.

– E o Brasil com isso?

Exportações e importações como porcentagem do PIB. Fonte: Banco Mundial.

O Brasil é um país com economia muito fechada. Em 2013, as exportações e importações somaram apenas 28% do PIB. Um artigo publicado no site do Banco Mundial mostra que, dado o tamanho da economia e comparando com países similares, o esperado seria o comércio responder por 85% do nosso PIB.

As importações corresponderam em 2013 a apenas 15% do PIB brasileiro, contra 45% na Alemanha, 33% no Reino Unido, 32% no México e 28% na Índia, por exemplo.

Em relação às outras economias grandes, o Brasil exporta pouco e importa pouco.

O acordo pode ajudar a mudar isso.

– Como?

No começo dos anos 90, o Brasil realizou um processo de abertura comercial que resultou num aumento da produtividade da indústria.

Máquinas e equipamentos importados e avançados ficaram mais baratos. Isso também vale para equipamentos de saúde e outros produtos que não são produzidos no Brasil ou são muito caros aqui.

– Por que demorou 20 anos para esse acordo sair?

Em parte, porque cada lado puxava a brasa para sua sardinha.

O lobby dos agricultores europeus temia a concorrência com o agronegócio sul-americano.

O lobby da indústria sul-americana temia a concorrência com os importados europeus.

O acordo resolveu esse impasse com uma implementação gradual assimétrica.

A UE terá prazos curtos para reduzir suas barreiras alfandegárias; os países do Mercosul ganharam prazos um pouco mais compridos.

***

Este texto continua AQUI, somente para assinantes de O Antagonista+.

(saiba como assinar).

Comentários

  • ALBERTO -

    Pena toda esta poluição. Não contribuem para o aprofundamento do debate. Quero saber é como podemos avaliar estes acordos, se já foi afirmado que o Brasil será só fornecedor de commodoties?

  • Pedro -

    Parabéns!Matéria simples e objetiva.

  • Rodolfo -

    Quero comprar vinho e tecnologia pela metade do preço! Que se explodam os exportadores! Se bobear, produtores brasileiros vão exportar tudo e os preços aqui vão duplicar!

Ler 25 comentários