Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

A velocidade da nova variante do sul da África

Nova variante, identificada primeiro no Botsuana, já é responsável por 90% dos casos novos na região de Joanesburgo
A velocidade da nova variante do sul da África
Ilustração: Dieterich01/Pixabay

A variante B.1.1.529 do novo coronavírus, identificada pela primeira vez no Botsuana, tornou-se dominante na África do Sul bem mais rapidamente que as cepas Beta e Delta. É o que mostra um gráfico publicado pelo Financial Times nesta sexta (26).

O gráfico abaixo mostra o número de dias que levou para cada variante alcançar determinada porcentagem dos casos. A variante Delta, como se vê, levou mais de 70 dias para ser responsável por 80% dos casos. A variante Beta nunca chegou aos 60%.

grafico ft_variante botsuana_26.nov_.2021 1024x648
Reprodução/Financial Times
Já a nova variante, em menos de 25 dias, já é responsável por mais de 80% dos casos na África do Sul cujo genoma foi analisado.

Segundo o jornal britânico, pelo menos 59 casos da variante já foram sequenciados (ou seja, geneticamente analisados). Autoridades locais disseram que resultados iniciais de exames PCR indicam que 90% de 1.100 casos novos na quarta-feira (24) na região de Gauteng foram causados pela nova variante. Gauteng é a província da África do Sul cuja capital é Joanesburgo – uma cidade com quase 6 milhões de habitantes.

A diretora-geral adjunta de acesso a medicamentos da OMS, Mariângela Simão, disse nesta sexta (26) à CNN Brasil que a organização deve batizar hoje a nova variante com uma letra do alfabeto grego.

Leia mais:

E lá vem a variante sul-africana

“O mundo está entrando em uma quarta onda”, diz diretora da OMS

OMS classifica variante de interesse identificada na Colômbia como “Mu”

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO
×
Oferecimento....