Aliado de Trump acusa príncipe saudita pela morte de jornalista

O senador Lindsey Graham, republicano aliado de Donald Trump, acusou o príncipe herdeiro saudita, Mohammed bin Salman, de ter mandado matar o jornalista Jamal Khashoggi.

Khashoggi, também saudita e opositor da monarquia absolutista de seu país, era colaborador do Washington Post. Ele desapareceu há duas semanas, depois de entrar no consulado saudita em Istambul para retirar documentos.

Autoridades turcas acreditam que ele tenha sido torturado, assassinado e esquartejado no local.

Graham disse que irá defender uma suspensão nas vendas de armas à Arábia Saudita –que, assim como a Turquia, é aliada dos EUA.

Em um cenário de incerteza, você precisa de um guia. Ao invés disso, estão escondendo a verdade de você. Leia AQUI

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

  1. Sergio disse:

    A Arábia Saudita é uma ditadura cruel e patrocinadora de terroristas, não é a toa que Bin Laden era saudita.

Ler comentários
  1. Luiz disse:

    se ficar comprovado a morte do jornalista. alguém tem que pagar...ou seja por um pagarão todos...com a palavra Donald Trump, jogar um míssil no consulado seria justo, já que o mataram lá

  2. perez disse:

    Como os antagonistas são néscios e incompetentes em matéria de politica internacional, principalmente americana, vou desenhar. FALSE FLAG querem que Trump pense isso.

  3. Carmencita disse:

    Já pensou esquartejar o homem dentro do consulado. Haja maldade!

  4. Rafael disse:

    Os sauditas são os maiores inimigos da América. Trump tem que implodir aquele regime facínora.

  5. Luíz disse:

    Assessores de Donald John Trump devem estar ligando insistentemente para conseguirem convite para o presidente Trump comparecer à posse de Bolsonaro. Go Jair, go!