ACESSE

Após massacre, Trudeau proíbe armas de calibre militar no Canadá

Telegram

Duas semanas após o pior ataque a tiros da história do Canadá, que deixou 22 mortos, o primeiro-ministro Justin Trudeau anunciou nesta sexta-feira a proibição de mais de 1,5 mil modelos de armas de calibre militar no país.

“Essas armas foram projetadas para um único objetivo: matar o maior número de pessoas o mais rapidamente possível. E elas não têm mais vez no Canadá”, disse o premiê. “A partir de agora, não é mais permitido comprar, vender, transportar, importar ou usar armas de assalto de nível militar neste país.”

Entre as armas proibidas, estão rifles e fuzis M16, M4, AR-10 e AR-15. Segundo estimativas da CBC, há cerca de 83 mil armamentos desse tipo em circulação no Canadá.

No ataque ocorrido no mês passado na província de Nova Escócia, 13 pessoas morreram baleadas e outras nove em incêndios provocados pelo atirador — que colocou fogo nas casas por onde passava. A ação criminosa durou várias horas.

O assassino foi identificado como Gabriel Wortman, de 51 anos. Ele tinha uma série de armas semiautomáticas de mão e pelo menos dois rifles.

Leia também: Bom jornalismo: a sua proteção contra as fake news. Entenda

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 38 comentários