Cadê a manchete do UOL sobre isso?

Enquanto colunistas e jornalistas brasileiros tentam criar uma “onda islamofóbica” na França, a realidade — que esse pessoal se recusa a ver, cego que está pelas lentes turvas da ideologia — é bem outra. Só ontem, no Facebook, agora sob estrita vigilância do governo francês, 3 721 mensagens de apologia do terrorismo foram interceptadas. Um dos autores postou uma foto de um fuzil Kalashnikov, comemorando os atentados. Ele foi detido e será julgado: pode pegar uma cana de até sete anos.
Um adolescente foi condenado a um ano de prisão, com direito a sursis, e 210 horas de trabalho comunitário, por ter festejado os massacres na internet. Fora da rede, um marmanjo fez o gesto de atirar com metralhadora em policiais, gritando: “Viva os assassinos da polícia!”. Detido igualmente.
Nas escolas, mais problemas: professores relatam que muitos alunos acham que os jornalistas e chargistas do jornal satírico Charlie Hebdo provocaram os terroristas — simplesmente não entendem o conceito de liberdade de expressão total. A molecada tem o mesmo nível mental dos colunistas e jornalistas brasileiros que relativizam os atentados. Na França, porém, essa é uma questão preocupante. A fobia e a incompreensão são em relação à democracia.
Cadê a manchete do UOL sobre isso?

Faça o primeiro comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200