ACESSE

Chanceler argentino diz que Evo não pode fazer "declarações políticas" no país

Telegram

O novo ministro das Relações Exteriores da Argentina, Felipe Solá, confirmou há pouco que o país concedeu asilo político a Evo Morales — que deve pedir refúgio nas próximas horas.

Como noticiamos mais cedo, Evo desembarcou hoje em Buenos Aires.

“A condição com a qual ele entra é a que eu concedi a ele ontem à noite. Ele solicitou asilo. Eu lhe dei asilo para entrar no país, mas eles estão assinando o pedido de refúgio”, afirmou o chanceler.

Entretanto, o ex-presidente da Bolívia não pode se manifestar politicamente no país, disse o chanceler, segundo o La Nación.

“O regulamento exige uma série de diretrizes, como deixar claro onde você vai se estabelecer. Há também o compromisso de não fazer declarações políticas sobre seu país na Argentina. O grau de liberdade é uma coisa, e o grau de compromisso político é outra.”

O governo argentino também informou que não há, pelo menos por enquanto, qualquer previsão de encontro entre o presidente Alberto Fernández e Evo.

Morales chegou à Argentina acompanhado por Álvaro García Linera, ex-vice-presidente da Bolívia; Gabriela Montaño, ex-ministra da Saúde; Diego Pary, ex-chanceler; e José Alberto Gonzales, ex-embaixador na OEA.

Como o Brasil pode evitar que as confusões dos países vizinhos o contaminem. Saiba mais

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 50 comentários