China se recusa a pedir desculpas à Austrália por imagem 'fake' de soldado

China se recusa a pedir desculpas à Austrália por imagem fake de soldado
Montagem: Lijian Zhao/Ministério das Relações Exteriores da China

A China se recusou a pedir desculpas à Austrália por compartilhar uma imagem falsa de um soldado australiano matando uma criança afegã. As informações são da BBC.

Nesta terça (1º), a ditadura chinesa acusou a Austrália de tentar “desviar a atenção pública” de supostos crimes de guerra cometidos no Afeganistão.

Ontem (30), o primeiro-ministro Scott Morrison disse que a China deveria ter “vergonha” de compartilhar a imagem “repugnante”.

No começo de novembro, documento das Forças Armadas da Austrália (ADF) relatou ter encontrado “informações críveis” de que 25 soldados australianos estiveram envolvidos na morte de 39 civis e prisioneiros afegãos entre 2009 e 2013.

A revelação teve grande repercussão na Austrália, e agora é investigada pela polícia.

A China aproveitou a repercussão para compartilhar a imagem falsa no Twitter. A montagem foi compartilhada por Lijian Zhao, porta-voz do ministério das Relações Exteriores.

Por volta das 11h30 desta terça (1º), o senador americano Marco Rubio também entrou na briga – criticando o Twitter.

Rubio, que é republicano e representa a Flórida, escreveu:

“O Twitter teve mais de 36 horas para investigar & destacar [como falso ou duvidoso] um tweet de Zhao Lijian, diretor-adjunto do Ministério das Relações Exteriores da China, contendo imagem adulterada que pode inspirar violência letal. Não fizeram nada. Mas tweets de Trump são destacados [como falsos ou duvidosos] em minutos”.

Leia mais: A revista que fiscaliza TODOS os poderes e conta com os melhores colunistas do Brasil.
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 38 comentários
TOPO