Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Comitê da FDA recomenda restringir dose de reforço da Pfizer a idosos

Colegiado também defendeu dar vacina extra a pessoas com risco de desenvolver sintomas graves de Covid, mas não a toda a população dos EUA acima de 16 anos
Comitê da FDA recomenda restringir dose de reforço da Pfizer a idosos
Foto: Myke Sena/MS

Um comitê consultivo científico da FDA, a “Anvisa dos EUA”, recomendou nesta sexta (17) a aplicação de uma dose de reforço da vacina da Pfizer para idosos com 65 anos ou mais e pessoas com alto risco de desenvolver sintomas graves de Covid.

Horas antes, o mesmo comitê havia desaconselhado por 16 votos a 2 a aplicação dessa dose de reforço da Pfizer para pessoas acima de 16 anos. Segundo o New York Times, houve “intensa discussão pública” sobre se o reforço da vacina é necessário e, em caso afirmativo, para quem.

No debate feito pelo comitê, muitos dos especialistas independentes, incluindo infectologistas e estatísticos, questionaram se os dados justificavam doses extras para a maior parte da população quando os imunizantes ainda parecem oferecer proteção robusta contra a infecção e a hospitalização por Covid.

“Não está claro se todos precisam receber doses de reforço, exceto um subconjunto da população que claramente estaria sob alto risco de doenças graves”, disse o médico Michael G. Kurilla, integrante do colegiado e funcionário dos Institutos Nacionais de Saúde.

Embora a FDA não seja obrigada a adotar as recomendações de seu comitê consultivo, normalmente elas são seguidas. A agência deve decidir sobre o assunto no início da próxima semana.

 

Mais notícias
TOPO