Coronavírus: a psicose coletiva italiana

Até agora, todos os sete mortos na Itália diagnosticados com o novo coronavírus eram pessoas de idade e em condição de saúde precária. Neste momento, o número de casos registrados da doença no país é de 283.

Como também o novo coronavírus é menos letal do que o da influenza, médicos ouvidos pela imprensa italiana dizem que o mais correto é dizer que as sete pessoas morreram com o Covid-19, como foi batizado o novo coronavírus, do que de Covid-19. Além disso, o número geral de casos pode estar relacionado ao fato de a Itália estar fazendo mais testes na população do que outros países europeus. Dez vezes mais do que a França, por exemplo.

Em resumo, segundo especialistas, o que pode estar ocorrendo na Itália das cidades desertas e supermercados com prateleiras vazias, com milhares de pessoas estocando alimentos, é um fenômeno de psicose coletiva, em que pesem os cuidados necessários para que o Covid-19 não se alastre.

Leia também: Crise econômica à vista?

Não raro o senso comum vale mais do que a opinião de especialistas. A ver.

Comentários

  • ReginaC -

    Eu não sei o que está pior aqui no site, se os posts sobre o coronavírus ou os anúncios. Tá muito chato isso aqui.

  • LIGIA -

    Não seria de histeria coletiva? Psicose coletiva não faz sentido...

  • Pedro -

    O que tem de italiano passando carnaval no Rio!

Ler 41 comentários