ACESSE

Covid-19: com os cumprimentos de El Chapo

Telegram

Na periferia de Guadalajara, no México, belas jovens estão distribuindo alimentos em caixas de papelão a idosos necessitados, em meio à epidemia de Covid-19.

As caixas trazem a marca “El Chapo 701”, uma marca de roupas e bebidas criada por Alejandrina Guzmán, filha do traficante mexicano Joaquín “El Chapo” Guzmán, preso nos Estados Unidos. O “701” é referência ao lugar ocupado pelo criminoso no ranking da revista Forbes dos homens mais ricos do mundo, em 2009.

As máscaras usadas pelas jovens trazem estampadas a efígie de El Chapo.

Os cartéis de droga mexicanos agora anunciam as suas caridades nas redes sociais, como é o caso de “El Chapo 701”, e também disponibilizam crédito a pequenos comerciantes em dificuldades. Mas os negócios também vão mal para os criminosos, com o fechamento nas fronteiras e a falta de insumos para sintetizar drogas, boa parte deles proveniente da China e da Índia.

Leia também: Novo chefão na Saúde: o combate à pandemia vai mudar?

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 14 comentários