Covid-19: Venezuela é acusada de mentir sobre números da doença

A ditadura de Nicolás Maduro na Venezuela foi acusada de mentir sobre o número de casos do novo coronavírus e de mortos pela Covid-19 pela ONG Human Rights Watch e por uma professora da Universidade Johns Hopkins.

Os números oficiais do regime venezuelano dizem que o país registrou 1.211 casos e apenas 10 mortes por Covid-19 até o momento.

Um estudo comandado por Kathleen Page, médica e professora associada da Johns Hopkins, entrevistou uma série de médicos e enfermeiros venezuelanos que relataram um cenário de catástrofe.

Segundo ela, 60% dos hospitais do país não possuem luvas ou máscaras, e 70% estão sem acesso a água tratada, sabão ou álcool gel. Além disso, os testes dão alto nível de falsos negativos. “É uma situação realmente dantesca.”

A médica calcula que, numa estimativa “conservadora”, 1% da população venezuelana esteja infectada, o que daria pelo menos 300 mil casos. Com mortalidade perto de 10%, seriam cerca de 30 mil mortos.

O diretor da Human Rights Watch para as Américas, José Miguel Vivanco, por sua vez, afirmou que as “estatísticas de Maduro são absurdas e não têm credibilidade”.

Mais lidas
  1. PDT acusa Bolsonaro de peculato por compra de leite condensado

  2. Justiça Federal suspende distribuição da vacina de Oxford em Manaus

  3. ENTREVISTA: Wilson Lima diz que Pazuello ajuda a 'agilizar demandas', mas que 'ainda falta oxigênio'

  4. Moraes manda Oswaldo Eustáquio para prisão domiciliar

  5. O Pazuello da Economia

Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 21 comentários
TOPO