ACESSE

Crusoé: brasileiros abastecem garimpo ilegal na Venezuela e fortalecem Maduro

Telegram

À margem da lei, brasileiros abastecem garimpos ilegais em território venezuelano e impulsionam o mercado clandestino de ouro, informa André Spigariol em reportagem publicada na edição desta semana da Crusoé.

Com isso, eles contribuem indiretamente para a manutenção e o fortalecimento da ditadura de Nicolás Maduro.

Leia um trecho:

“Caminhoneiros, com ganhos que podem passar de 40 mil reais mensais, passam dias na fila que se forma na BR-174 para abastecer o profícuo comércio no sul da Venezuela, controlado pela ditadura de Nicolás Maduro. O regime importa alimentos e tudo o que for necessário para manter funcionando seus garimpos instalados em plena floresta amazônica, no chamado Arco Minero del Orinoco, criado em 2016. De lá, o governo bolivariano extrai o ouro que hoje é crucial para a sua sobrevivência. A extração aurífera na Amazônia venezuelana foi declarada ilegal pela Assembleia Nacional, presidida por Juan Guaidó.

Parte dessa riqueza cruza a fronteira rumo ao lado brasileiro como pagamento pelas exportações e já virou caso de polícia. O Ministério Público Federal acusa uma organização criminosa de lavar 1,2 tonelada de ouro contrabandeado da Venezuela e usado como pagamento pelos mantimentos. Ao todo, 33 pessoas, incluindo empresários e servidores públicos integravam o esquema, desbaratado em dezembro do ano passado. A ação, porém, não parece ter sido suficiente para conter o movimento na região: empresas brasileiras continuam despachando toneladas em mantimentos para o regime chavista alimentar seus garimpos.”

Leia aqui a reportagem completa.

Leia mais: Combo O Antagonista e Crusoé: comece a ler por apenas R$ 1,90/mês

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 11 comentários