De marcha à ré contra o terrorismo

As novas imagens da fuga dos terroristas do Charlie Hebdo demonstram – como se isso fosse necessário – a falta de preparo dos policiais franceses. Em vez de enfrentar os terroristas ou de tentar bloqueá-los com a viatura, os policiais deram marcha à ré, deixando-os escapar sem qualquer sinal de resistência, covardemente. Os atentados desencadearam uma onda de debates sobre religião e política internacional, mas a primeira questão a ser enfrentada é de ordem pública. Desconfie de quem cita as periferias das cidades francesas – as banlieues – para explicar a monstruosidade dos extremistas islâmicos. O Brasil sabe o que esse tipo de discurso pode provocar.  


Os policiais franceses: marcha à ré

Faça o primeiro comentário