Eleição na Geórgia chega a US$ 830 milhões em gastos e ultrapassa campanha de Trump

Eleição na Geórgia chega a US$ 830 milhões em gastos e ultrapassa campanha de Trump
Foto: Divulgação/Reverend Raphael Warnock/Facebook

A campanha eleitoral para as duas vagas de senador pela Geórgia já ultrapassou US$ 833 milhões em gastos, superando até mesmo a campanha oficial de Donald Trump.

Os números são do site Open Secrets, que compila dados de arrecadação e gastos de campanhas eleitorais nos Estados Unidos.

A disputa entre o senador republicano David Perdue e o democrata Jon Ossoff já é a mais cara corrida pelo Senado na história, com os candidatos e grupos de apoio somando US$ 470 milhões em gastos até segunda-feira (4).

Já a eleição especial entre a senadora republicana Kelly Loeffler e o democrata Raphael Warnock já soma US$ 363 milhões em gastos.

Somadas, as quatro campanhas para as duas vagas no Senado superam a campanha oficial de Donald Trump em 2020, que gastou US$ 778 milhões.

Os números levam a conta os gastos das campanhas oficiais dos candidatos e também dos grupos de apoio independentes, como grupos conservadores e liberais que produzem anúncios para endossar ou rejeitar os candidatos.

Boa parte do dinheiro é usada para produzir e levar ao ar anúncios na TV. Por exemplo, um grupo de apoio paga cerca de US$ 3,4 mil para levar ao ar um anúncio de 30 segundos que vá ao ar apenas na capital, Atlanta, segundo dados do Business Insider. Esse número não leva em conta o custo de produção do vídeo.

Os números de gastos vão aumentar quando os candidatos enviarem relatórios pós-eleição à Comissão Federal de Eleições.

A Geórgia se tornou um campo de batalha nacional porque a eleição no estado vai determinar uma questão de enorme peso: Joe Biden terá maioria no Congresso?

Os democratas precisam vencer ambas as cadeiras na Geórgia para que a resposta seja “sim”, chegando a um bloco com 50 senadores e fazendo uso do voto de minerva da futura vice-presidente Kamala Harris.

Os republicanos jogam pelo empate. Basta vencerem uma das duas cadeiras na Geórgia para formarem maioria de oposição no Senado.

Segundo o Voice of America, mais de 3 milhões de georgianos já votaram antecipadamente nesta eleição de 2º turno para o Senado, incluindo cerca de 100 000 pessoas que não votaram em novembro para presidente.

Biden venceu a eleição na Geórgia por uma maioria apertadíssima, após duas recontagens: 49,47% dos votos, contra 49,24% para Trump. Foi o primeiro candidato presidencial democrata a vencer na Geórgia desde 1992.

Leia mais: Na edição especial do final deste 2020 tão desafiador, a revista tem a honra de publicar conteúdos de articulistas brilhantes e com atuação importante nas suas especialidades.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO