Farmacêuticas publicam documentos sobre segurança das vacinas

Farmacêuticas publicam documentos sobre segurança das vacinas
Foto: Belova59/pixabay

As grandes farmacêuticas AstraZeneca, Moderna e Pfizer divulgaram nos últimos dias documentos antes secretos que mostram como estão avaliando as candidatas a vacina contra Covid-19.

Moderna e Pfizer divulgaram os documentos na última quinta (17). A AstraZeneca seguiu o exemplo no sábado (19).

Os documentos revelam detalhes sobre como os participantes são selecionados e monitorados, as condições sob as quais os ensaios podem ser interrompidos em caso de problemas, e as evidências que os pesquisadores vão usar para determinar se a candidata a vacina funciona.

O estudo da Moderna vai envolver 30 000 participantes; o da Pfizer, 40 000. Sobre a AstraZeneca, sabe-se que 18 000 pessoas no mundo já receberam a vacina.

Normalmente, as empresas só publicam esse tipo de estudos depois que os ensaios são concluídos.

Segundo o New York Times, a publicação dos estudos foi uma medida para enfrentar suspeitas sobre a segurança das vacinas, depois que o presidente Donald Trump ter dito ser “possível” que uma vacina fique pronta antes da eleição, marcada para 3 de novembro.

Leia mais: Sócios no desastre: a responsabilidade dos governadores na pandemia. Clique aqui para ler mais
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler comentários
TOPO