Independência em pausa

Carles Puigdemont pediu uma pausa na independência da Catalunha para negociar um acordo com o Estado espanhol.

Muito barulho por nada.

Temas relacionados:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 34 comentários
  1. Antagonistas: Cheguei agora de uma fazenda do interior de MG, estava comendo leitão a pururuca.
    Assistimos a “Declaração do sr. Puigdemont. Ao final, alguém falou:- “Mijô na páia!”

  2. Olha o eleitores do Bolsonaro comentando abaixo. Dizem que o presidente da Catalonia arregou como se um processo político de independência fosse algo tão simples como 5 minutinhos de porradda. Rsrs Isso é Bolsonaro. Se eleito, o “mito” passará 4 anos achacando a oposição com intervenção militar. Vai querer resolver tudo na força. Perigosíssimo do mal…

    1. melhor que ficar gastando dinheiro publico comprando apoio mercenário.

      uma boa dose de pau é o que falta para essa cambada do congresso

  3. No frigir dos ovos quem se deu mal com tudo isso foi o tal do Pique, que no auge da emoção disse la umas besteiras diante dos microfones abertos e praticamente encerrou sua participação na seleção espanhola. Pelo menos a participação sem tomar vaias, que deverão ser constantes daqui pra frente.

  4. O cara é ensaboado e escorregadio. Parece alguem de 9 dedos. Nao confirmou e nem negou a independencia. Tucanou geral com essa historia de “independencia com dialogo”. Acho que estamos diante de mais um enrolador que se besuntou de óleo para poder escorregar para o lado que mais lhe convier na hora que julgar ser a certa. Hoje em dia nao ha mais lideres. Só ha esse monte de enroladores ai.

  5. Será que eles, finalmente, se tocaram que foram grotescamente MANIPULADOS pela esquerda espanhola, que tinha um único objetivo: atingir o atual governo conservador de Mariano Rajoy para desalojá-lo do poder nas próximas eleições?
    O plebiscito teve apoio de 38,7% dos eleitores da Catalunha! Nem a prefeita de Barcelona apóia isso!