Irã prende 200 em marchas contra o governo na capital

Duzentas pessoas foram detidas ontem em Teerã, a capital iraniana, nas manifestações populares contra o regime islâmico que tiveram início na quinta-feira.

A Guarda Revolucionária, ala mais linha-dura do governo, já ameaçou reprimir (ainda mais) os manifestantes, e o acesso à internet nos celulares já foi cortado, para dificultar a comunicação entre os participantes dos protestos.

Comentários temporariamente fechados.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Ler mais 6 comentários
  1. Qual a novidade? O irã não é aquele país que condena mulheres ao apedrejamento e que enforca “hereges” e homossexuais em guindastes, em praça pública? Não é o país que possui uma polícia política que sai às ruas fiscalizando vestimentas e punindo com varadas os “infiéis”? Não é o país que desenvolve um programa nuclear secreto e financia milícias na Síria e grupos terroristas no Líbano (Hezbollah), na Faixa de Gaza (Hamas) e no Iraque? E não devemos esquecer que Teerã é também uma das cidades mais poluídas e “pouco sustentáveis” do mundo. Apesar disso tudo, nunca ouvi um protesto do Geenpeace ou dos movimentos gays ou das feministas a respeito. Sabem por que? Porque é bem mais fácil e seguro protestar nos EUA ou na Europa, não é mesmo?