Jornal Nacional: os muçulmanos não entenderam nada

No Jornal Nacional, muçulmanos da Europa e do Oriente Médio reclamaram que a nova edição do Charlie Hebdo, que traz na capa uma charge insípida de Maomé, é uma “provocação”. O líder de uma organização religiosa árabe chegou a afirmar: “Participei da marcha em Paris e, agora, eles publicam uma capa dessas? É uma insolência”.
Essa gente, evidentemente, não tem capacidade cerebral para entender o que seja liberdade de expressão. Também não compreenderam que a marcha ocorreu justamente para defender essa conquista da democracia ocidental. O que inclui o direito de zombar de qualquer religião, de qualquer político, de qualquer aspecto da sociedade, enfim, não importando se a zombaria é de bom ou mau gosto, ou se dogmas de determinados grupos são transgredidos.
Se o Charlie Hebdo nunca mais fizer uma charge retratando Maomé, será uma vitória  acachapante dos terroristas que mataram os desenhistas e jornalistas da publicação satírica.

Faça o primeiro comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200