Justiça do Equador mantém condenação, e Correa fica fora de eleições

Rafael Correa, o esquerdista que presidiu o Equador de 2007 a 2017,  teve sua condenação de oito anos por suborno confirmada pelo Supremo Tribunal Nacional de Justiça do país nesta segunda-feira, 7.

Desse modo, Correa não poderá imitar o que Cristina Kirchner fez na Argentina e se candidatar à Vice-Presidência nas próximas eleições, em fevereiro de 2021.

O ex-presidente, que vive na Bélgica para escapar à Justiça equatoriana, planejava ser companheiro de chapa do jovem economista Andrés Arauz por uma coalizão de esquerda.

Correa já tinha tido sua candidatura suspensa na última quarta-feira (2) pelo Conselho Nacional Eleitoral, mas a medida não o excluía do pleito —o que ocorreu agora com a confirmação de sua sentença pela corte suprema.

Leia mais: TCHAU, TOFFOLI
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 11 comentários
TOPO