ACESSE

Livros de ativistas pró-democracia somem das bibliotecas de Hong Kong

Telegram

Duda Teixeira, na Crusoé, informa que livros de jovens que lideraram os protestos pela democracia em Hong Kong sumiram do acervo das bibliotecas públicas da ex-colônia britânica.

Entre os volumes retirados das prateleiras, estão obras de ativistas como Joshua Wong e Tanya Chan.

O desaparecimento acontece depois que o Partido Comunista de Pequim instituiu, no dia 30 de junho, uma nova lei de segurança nacional no território.

“O governo de Hong Kong alega que a nova lei de segurança nacional afeta apenas uma pequena minoria de pessoas, mas retirar livros pró-democracia de bibliotecas públicas mostra claramente que a lei atinge o público em geral”, diz Yaqiu Wang, que pesquisa a censura na China na ONG Human Rights Watch.

Leia mais aqui.

Leia mais: Nova coluna de Sergio Moro: leia agora na íntegra. Clique AQUI

Comentários

  • Riquelme -

    A grande pergunta que fica é: O que a ONU está fazendo por Hong-Kong?

  • Elisabete -

    Temos que cuidar do nosso Brasil. O preço da liberdade é a eterna vigilância. Estamos em risco.

  • Elisabete -

    É justamente o JB38 que pretende destruir a nossa democracia. Não terá êxito.

Ler 17 comentários