Missão da ONU acusa Maduro de crimes contra a humanidade

Missão da ONU acusa Maduro de crimes contra a humanidade
UN Photo/Cia Pak

Uma missão indicada pelo Conselho de Direitos Humanos da ONU acusou o governo da Venezuela de crimes contra a humanidade, e afirma que o presidente Nicolás Maduro e seus ministros do Interior e da Defesa “estavam cientes dos crimes”.

Segundo a missão, o presidente e os ministros “deram ordens, coordenaram atividades e forneceram recursos para avançar os planos e políticas sob os quais os crimes eram cometidos”.

Ainda segundo a missão, o Estado venezuelano deve julgar as pessoas responsáveis por execuções extrajudiciais, desaparecimentos forçados, detenções arbitrárias e tortura, e impedir novos atos semelhantes.

O relatório, de 411 páginas, foi publicado nesta quarta-feira (16). A missão investigou 223 casos de crimes, dos quais 48 são analisados em profundidade.

O texto identificou “padrões de violações e crimes altamente coordenados conforme políticas de Estado, e parte de uma conduta ampla e sistemática, portanto constituindo crimes contra a humanidade”.

A missão também investigou a Operación de Liberación del Pueblo (OLP), milícia chavista supostamente estabelecida para combater o crime. Segundo o relatório encomendado pela ONU, a missão investigou 140 operações ocorridas entre 2015 e 2017, que resultaram na morte de 413 pessoas, algumas assassinadas por tiro à queima-roupa.

Nicolás Maduro é também sistematicamente apoiado por Lula e pelo PT. Em janeiro de 2019, Gleisi Hoffmann foi à mais recente posse de Maduro. Naquele momento, Lula ainda estava preso em Curitiba.

Leia mais: Exclusivo: segundo Marcelo Odebrecht, a empreiteira chegou a “pagar caro” a um escritório autorizado por Toffoli para “intermediar” a relação entre eles
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 21 comentários
TOPO