Netanyahu aprovou venda de armas dos EUA aos Emirados, diz jornal

Reportagem do New York Times afirma que Binyamin Netanyahu, o primeiro-ministro de Israel, aceitou em privado o plano do governo Donald Trump de vender armas de última geração aos Emirados Árabes, apesar de ter dito em público que se opunha à venda do armamento.

Segundo o jornal, que atribuiu a informação a autoridades familiarizadas com as negociações, Netanyahu optou por não tentar bloquear o acordo, já que participou do esforço para garantir o acordo de paz entre Israel e os Emirados.

O acordo foi anunciado por Trump com grande alarde no mês passado, mas o presidente dos EUA não mencionou as discussões sobre armas que decorriam paralelamente.

Depois que a notícia da venda de armas americanas aos Emirados –entre elas, caças F-35 e drones– tornou-se pública, porém, Netanyahu negou que tivesse dado garantias a Trump de que Israel não se oporia.

Segundo as autoridades ouvidas pelo New York Times, o premiê israelense só parou de reclamar depois de uma reunião com o secretário de Estado Mike Pompeo em Jerusalém, na semana passada.

Leia mais: 'Crusoé' revelou pagamentos da JBS ao advogado de Bolsonaro e a participação do presidente em operação em favor do grupo dos irmãos Joesley e Wesley Batista. E os repórteres seguem investigando
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler comentários
TOPO