ACESSE

O cálculo geopolítico do Irã

Telegram

Com a demissão do conselheiro de Segurança Nacional, John Bolton, os Estados Unidos sinalizaram na semana passada que estariam menos propensos a entrar em conflitos militares e que a diplomacia ganharia importância. Falava-se até em um encontro entre o presidente americano, Donald Trump, e o iraniano Hassan Rouhani.

No sábado, duas refinarias da Arábia Saudita foram atacadas por drones e mísseis de cruzeiro. O Irã, comandado pelo aiatolá Ali Khamenei, negou o envolvimento no ataque, mas é o único suspeito.

Apesar de o ataque não fazer sentido quando se leva em consideração a expectativa que havia sobre as negociações, há razões geopolíticas para que o Irã tenha desferido o golpe.

Leia a reportagem de Duda Teixeira na Crusoé:

Análise: O cálculo geopolítico do Irã

Ana Paula Henkel e as narrativas do Partido Democrata: 'Só faltou combinar com os russos'. LEIA AQUI

Comentários

  • Tiago -

    O Irã não ganharia nada com isso.

Ler 3 comentários