O dia da caça

O jornalista Damián Pachter, que noticiou a morte do promotor Alberto Nisman, fugiu da Argentina porque temia ser morto. Para facilitar o trabalho de seus assassinos, o site do governo de Cristina Kirchner divulgou que ele estava escondido no Uruguai, reproduzindo até mesmo a tela de computador com os dados de sua viagem. Ontem à noite, Pachter anunciou que conseguira escapar para Israel. 

Em 27 de janeiro de 1945, exatamente 70 anos atrás, o campo de extermínio de Auschwitz foi liberado. Pachter poderá comemorar o Dia da Memória sem uma bala no cérebro.

O governo argentino ajuda os assassinos

Faça o primeiro comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200