O fantasma de Nisman

O mais alto tribunal penal da Argentina determinou a reabertura da investigação que apurava se Cristina Kirchner acobertou a participação de funcionários do governo iraniano no atentado à Associação Israelita Argentina, em 1994, que matou 85 pessoas, informa O Globo.

A investigação havia sido encerrada em 2015, depois da morte ainda não totalmente esclarecida do promotor Alberto Nisman, que acusava Cristina de um acordo secreto com Teerã.

Faça o primeiro comentário