ACESSE

O mistério dos 'ataques sônicos' em Cuba

Telegram

OS EUA decidiram retirar a maior parte de seus diplomatas e funcionários da embaixada em Havana.

O governo americano diz que ataques com tecnologia não identificada causaram perda de audição ou equilíbrio, náusea, dificuldades para dormir e dores de cabeça a pelo menos 21 funcionários do Departamento de Estado em Cuba.

Todos os ataques, segundo os EUA, ocorreram em hotéís e não na embaixada. Inicialmente, suspeitava-se do uso de armas sônicas na ação.

O regime de Raúl Castro diz não ter nada a ver com a história, e os próprios americanos não descartam a ação de um terceiro país.

Mas tudo parece bem latino-americano. Lembra Manuel Zelaya, o presidente de Honduras, em 2009, cobrindo com papel alumínio as janelas da embaixada brasileira –onde estava refugiado– para evitar que “raios de micro-ondas” o atingissem.

Zelaya em 2009, protegido contra os ‘raios de micro-ondas’

Comentários

  • Leo -

    Onde consta "presidente de Honduras", vocês não pretenderam dizer "o ex-presidente de Honduras que o Legislativo cassou, o Judiciário referendou a decisão mas Lula considerou que havia sido vítima de 'golpistas' e por isso deixou que ele se instalasse e permanecesse o tempo que quis em nossa embaixada, fazendo lá o que bem quisesse para tentar desestabilizar o novo governo?

  • JB -

    Simples excesso de celulares num mesmo lugar.

  • HJorge -

    Lembro que esse cara foi taxado de louco por ter feito isso! Acontece que ele devia saber mais do que nós todos! F.D.P.s!!!

Ler 54 comentários