“O oportunista que ocupa a cadeira de chefe de Estado”

O escritor Michel Houellebecq escreveu um artigo para o jornal italiano Corriere della Sera. Ele acusou os últimos governos franceses de incompetência e leniência com o terrorismo, em especial François Hollande e Manuel Valls:

“É muito improvável que o insignificante oportunista que ocupa a cadeira de chefe de Estado, assim como o retardado congênito que desempenha as funções de primeiro-ministro, para não falar dos ‘tenores da oposição’ (LOL), saiam com honra dessa situação.”

“Quem foi que decretou cortes nas forças policiais, a ponto de reduzi-las à exasperação, quase incapazes de desempenhar as sua funções? Quem nos inculcou a ideia de que as fronteiras são uma velharia absurda, símbolo de um nacionalismo superado e nauseabundo?”

“A conclusão inevitável é que os governos que se sucederam nos últimos dez anos (vinte? trinta?) faliram miseravelmente, sistematicamente, pesadamente na sua missão fundamental — ou seja, proteger a população francesa.”

No final, Houellebecq derrapa, dizendo que a solução é a “democracia direta”, mas, no geral, o seu diagnóstico está certo.