O que o México e o Partido da Mulher Brasileira têm em comum?

O Washington Post conta que a Unam (Universidade Nacional Autônoma do México), maior instituição de ensino superior do país, anunciou um evento sobre feminismo.

Os 11 conferencistas que aparecem no programa do evento são homens.

Talvez seja alguma inspiração do Partido da Mulher Brasileira, aquele que até agosto tinha um representante na Cãmara. Homem, claro.

12 comentários

  1. O Partido da Mulher Brasileira é representado pelo o quê elas preferem.
    Se só tivesse mulher representante, deveria se chamar o Partido das Lésbicas Brasileiras.
    Simples assim …

  2. “Aim, que raiva, como protesto vou pintar o cabelo de azul e defecar no retrato do Bolsonaro lá na Paulista.”
    Agora a coisa vai.

  3. Só uma coisinha: Para se importar com as mulheres, você não precisa necessariamente ser mulher (ou será que Gleisi Hoffmann ou Maria do Rosário se preocupam com alguém, alem da maldita ORCRIM da qual fazem parte ?) , assim como para se importar com negros, você não precisa ser negro (se assim não fosse, não teríamos os movimentos abolicionistas no Brasil e o Presidente Lincoln não teria enfrentado uma guerra civil e depois, sido assassinado, para que os negros fossem libertos por lá)… É lógico que eu não vou ficar defendendo “movimento feminista”, que por si só é um engodo, seja composto por mulheres ou homens, mas está na hora de pararmos de dar credibilidade para as pessoas por conta do que elas tem entre as pernas ou pela cor de sua pele, porque foi isso que levou o brasileiro a eleger Dilma Rousseff, a mais patética figura politica de todos os tempos e os americanos a votar em Barack Obama, um traidor, que jogou um caminhão de sal nas feridas raciais americanas…

Comentários temporariamente fechados.
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.