A Odebrecht é do Peru

A imprensa peruana noticiou hoje que Úrsula Letona, deputada do partido de Keiko Fujimori, disse que “pessoas ligadas a Marcelo Odebrecht” queriam reunir-se com a líder da oposição.

A intenção, segundo Úrsula, era oferecer a Keiko R$ 6,5 milhões para sua campanha presidencial. A oposicionista, filha do ex-ditador Alberto Fujimori, vinha negando as acusações.

Além de Keiko, três ex-presidentes peruanos (Alejandro Toledo, Alan García e Ollanta Humala) e o atual, Pedro Pablo Kuczynski, já foram acusados de envolvimento com a empreiteira brasileira.

Só Humala foi preso, acusado de lavagem de dinheiro e associação ilícita.

 

200