ACESSE

OMS não condena megafesta com aglomeração em epicentro da Covid-19 na China

Telegram

A OMS reagiu nesta terça-feira, 18, às notícias sobre a megafesta que aglomerou milhares de pessoas no sábado (15) em Wuhan, na China, onde a Covid-19 surgiu no final de 2019 antes de se espalhar pelo mundo.

Mas, se vocês pensam que a entidade condenou os riscos da aglomeração e de “segunda onda” do novo coronavírus, estão muito enganados.

“Não devemos culpar as pessoas por quererem viver suas vidas, todos nós queremos viver nossas vidas, todos queremos voltar ao que era ‘normal’”, afirmou Maria van Kerkhove, a epidemiologista do Programa de Emergência em Saúde da OMS.

“Acho que só precisamos ter certeza de que a informação que está chegando, principalmente aos jovens e às crianças, é que eles não são invencíveis”, acrescentou Van Kerkhove.

Ou seja: se você for a China, a OMS não vai ver problema algum em uma aglomeração de milhares de pessoas sem máscara. Vai até justificar –e, indiretamente, dar razão às críticas reiteradas de Donald Trump.

CLIQUE AQUI para ver —ou rever— o vídeo de O Antagonista sobre a OMS.

Leia mais: O erro dos governadores na pandemia. Clique aqui para ler mais

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 92 comentários