Os terroristas patetas e o estuprador da razão

Julian Assange disse a coisa certa sobre os atentados em Paris. Sim, Julian Assange, o herói bolivariano do WikiLeaks. Como Julian Assange é Julian Assange, ele estragou tudo imediatamente depois.

Ele disse: “Os assassinos de Charlie Hebdo eram uns patetas, terroristas de pastelão, baratinados, que trombaram o carro, perderam a carteira de identidade, comunicaram-se por telefone. Perder quase vinte pessoas para eles é imperdoável”. Depois de demonstrar que o serviço secreto francês é de uma incompetência criminosa, porém, Julian Assange, o jornalista de pastelão, trombou o carro e perdeu a carteira de identidade, disparando teorias conspiratórias que só Emir Sader poderia abraçar (embora seja muito perigoso abraçar Julian Assange, como sabem as mulheres que o acusaram de estupro). Ele disse: “Os irmãos Kouachi foram protegidos pelo serviço secreto francês, como parte de suas aventuras na Síria, na Líbia e em outros lugares, ou como um canal para enviar dinheiro, armas e militantes na África e no Oriente Médio?”.

Daqui a pouco, algum energúmeno nazistóide vai acusar Israel de ter planejado os atentados em Paris. Há uma embaixada do Equador mental que abriga esse tipo de gente. Espera-se que eles nunca saiam de lá.

Faça o primeiro comentário