Papai Noel existe, sim

Emmanuel Macron chegou na Guiana, território francês que vive de dinheiro da metrópole, dizendo que não era “Papai Noel, porque os guianenses não eram crianças”.

Como Papai Noel é muito amado na Guiana, um monte de gente ficou brava e teve de ser contida com gás lacrimogêneo.

Macron acabará aceitando que Papai Noel existe e é ele próprio.

Comentários temporariamente fechados.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Ler 19 comentários
  1. Um belo exemplo! Aqui no Brasil existe um Papai Noel que não gosta muito de crianças. Gosta mais de enganar tolos e analfabetos. Veste vermelho, cheira a um forte odor de pinga e ainda se diz o “Salvador da Pátria”. Pra variar, dizem que o seu saco por ora é de brinquedo e não quer nem saber dele como cheio de dólares. Portanto, esse Papai Noel ora está desempregado e precisa sobreviver fazendo bicos pra cá e pra lá. Ainda mais depois que mexeram na sua Poupancinha. Quem seria ele? São Nicolau, São Lulalau…, ?

    1. Não se esqueça de que a personagem do Papai Noel pode ser interpretada por diversas figuras.
      No momento, aqui na terrinha, quem mais está parecendo o papai Noel de 2018 é o Luciano Huck, com seu assistencialismo/populismo globista.

  2. Populistas franco-latinos e socialistas (todos vadios) são especializados em viver do dinheiro feito por outros. Nada como experimentar do próprio remédio.

    1. Emmanuel Macron é como o Luciano Huck, um produto elaborado por encomenda para manter o socialismo populista no poder, que teve sucesso contra a extrema-direita francesa.
      Quando a mídia falta, o produto se contradiz!
      Em Banania não temos extrema-direita tal qual na França, mas temos a direita-xucra, né?!

  3. Engraçado: a França é o país símbolo da esquerda mundial e do politicamente correto, mas é o único país europeu que mantém uma colônia de terceiro mundo a seus pés

  4. Resquícios de um país imperialista, mas como pisou na bola na segunda guerra mundial com os antigos aliados da primeira, tomou bomba dos ingleses e pressão dos americanos para largar o osso das colonias africanas e nunca mais foi o mesmo país. Mas continua trabalhando nos bastidores para controlar as riquezas minerais do continente sofrida que é a África. Uma vergonha…!!! Se comem chocolate muito barato na Europa é também, entre tantas outras coisas, por causa da exploração vergonhosa do mesmo! Uma vez levaram chocolate a um pessoal de uma ex colonia francesa e os colhedores de cacau perguntaram: “O que é isso”, aí o jornalista disse: “É feito com esse fruto que vocês colhem”, o sujeito comentou: “Mas sempre nos disseram que isso era para produzir vinho”
    Esse é o lindo mundo que os Europeus, antigos colonizadores e hoje, moralizadores, falsos, é claro, impõem aos pobres coitados explorados…!!
    Sem falar de Mônaco, onde acabam de encontrar milhões nas contas do Ricardo Teixeira, isso graças aos americanos…!!!!
    UMA VERGONHA…!!!!!

    1. Só faltou você dizer que junto com a “ganância” pelo vil metal a Europa também levou para as colônias a ideia de democracia, escola, medicina, ciência, literatura, universidade, princípios humanistas e religiosos que foram capazes de criar ao longo do tempo entre nativos movimentos abolicionistas, como na América, enfim, um longo legado civilizacional, diferente da intervenção caótica, belicista e comunista da antiga URSS e da hoje maior e mais indiferente nação imperialista e extrativista, a China, país de política comunista e economia predatória que, aliás, detesta estrangeiros e já domina extensas áreas da África com o apoio do eterno papinho socialista sobre “europeus malvados”.

    2. Me desculpe, mas o preço pago pelos africanos é infinitamente maior..! Isso que você disse é a desculpa dos colonizadores. Se eles realmente tivesse feito algo para valer a África seria outra…!!!
      NADA JUSTIFICA O SOFRIMENTO DE SERES HUMANOS!!!!

    3. Você acredita mesmo que todos os males da África foram causados pelos europeus? A África não é o berço da humanidade? Se fossemos levar em conta a ancianidade, ela deveria estar dando exemplos ao resto mundo, não é mesmo?
      Aliás, hoje o continente-mãe deveria estar mais preocupado com a China (deveria também ter se preocupado mais com islâmicos, comerciantes estrangeiros de escravos africanos desde o século VIII, e com a URSS que liderou nos bastidores desde os anos 70 guerras civis e caos generalizado). Diferente dos nossos “portuga”, por exemplo”, chinês não é afeito a miscigenação (em geral, só casam entre si, só observar aqui mesmo em Banania), só se preocupa mesmo com o “vil metal” para ter mais poder contra os “malvados estadunidenses”.

Os comentários para essa notícia foram encerrados.