ACESSE

Partidos chegam a acordo, e eleições na Bolívia devem ocorrer em 6 de setembro

Telegram

As eleições presidenciais na Bolívia, inicialmente marcadas para o dia 3 de maio e adiadas por causa da epidemia de Covid-19, devem acontecer em 6 de setembro.

O anúncio foi feito nesta terça-feira pelo presidente do Tribunal Supremo Eleitoral (TSE), Salvador Romero, após um acordo envolvendo os principais partidos políticos do país.

O TSE encaminhará uma proposta de calendário eleitoral para a Assembleia Legislativa Plurinacional, que deve aprová-la nos próximos dias.

Segundo o tribunal, a nova data para as eleições foi “o resultado de um intenso e paciente processo de negociação, consultas e análises com os candidatos e organizações políticas, que se traduz em um valioso entendimento”.

A ONU também se manifestou hoje apoiando a definição de uma data para as eleições bolivianas. O diretor-geral da entidade, Antonio Guterres, defendeu que o pleito seja realizado “nas melhores condições sanitárias possíveis”, em meio à pandemia da Covid-19.

Em um comunicado, a presidente interina da Bolívia, Jeanine Añez, afirmou que a melhor saída para o país é superar o impasse político “com o voto popular, porque o voto é sagrado”.

“A data a ser determinada pelo TSE será acatada democraticamente por nossa aliança”, disse Añez.

Leia também: EXCLUSIVO: MORO ATACA

Comentários

  • DIMITRI -

    Arriscado. Deviam marcar para dezembro.

  • Hermano -

    E o índio amigo do Lula, que roubou lá a refinaria, vai concorrer?

Ler 2 comentários