ACESSE

Prefeito de Seul foi acusado de assédio na véspera de sua morte

Telegram

A investigação sobre a morte do prefeito de Seul, Park Won-soon, cujo corpo foi encontrado nesta quinta-feira (9) revelou que uma de suas secretárias o havia acusado de assédio sexual no dia anterior.

A polícia está tratando como suicídio a morte de Park, que se notabilizou como advogado de direitos humanos antes de assumir a prefeitura da capital sul-coreana, em 2011.

O New York Times divulgou o bilhete que o prefeito deixou antes de morrer.

“Peço desculpas a todos, agradeço a todos que estiveram comigo em minha vida. Para sempre pedirei desculpas à minha família, a quem apenas trouxe dor. Adeus a todos”, escreveu.

A família de Park emitiu uma declaração sugerindo à imprensa que não divulgasse “acusações unilaterais ou sem base”.

Leia mais: Comprovação do elo entre a Presidência da República e o gabinete do ódio complica Bolsonaro. Clique e leia

Comentários

  • Uirá -

    No Brasil ele JAMAIS faria isto, é só ver Roger Abdelmassih. Onde é que ele está agora? Enquanto isto conseguiram PRENDER o Queiroz. Pq será? Deve ser pq ele NÃO VIOLENTOU NINGUÉM, senão estava SOLTO.

  • JOSE -

    Não entendi. Para sempre pedirá desculpas à família. Então ele pensa que vai continuar vivendo? Então já sabe o que o espera?

  • Maria -

    Que diferença a sociedade onde as pessoas tem caráter. Uma simples acusação e o prefeito achou por bem se matar. Enquanto isso, no Brasil...

Ler 26 comentários