Presidente da Suprema Corte não vai presidir sessão de 2º impeachment de Trump

Presidente da Suprema Corte não vai presidir sessão de 2º impeachment de Trump
Foto: United States Senate Historical Office

O presidente da Suprema Corte dos Estados Unidos, John Roberts, não vai presidir no Senado as sessões do segundo impeachment de Donald Trump. As informações são do The Hill e da NPR.

Roberts presidiu o primeiro impeachment de Trump, em janeiro de 2020. A Constituição determina que o presidente da Suprema Corte presida no Senado o impeachment do presidente. Trump, como se sabe, não é presidente mais.

Quem vai presidir as sessões do julgamento, marcado para começar em 8 de fevereiro, será o democrata Patrick Leahy, o novo presidente pro tempore do Senado. O cargo é tradicionalmente ocupado pelo senador de maior senioridade do partido com maioria na casa.

A função de presidir o julgamento cabe ao presidente da Suprema Corte porque nos Estados Unidos formalmente o presidente do Senado é o vice-presidente, que teria um conflito de interesses. Esse potencial de sucessão não existe mais, já que Trump deixou a presidência, depois de muita relutância, na última quarta (20).

Para o impeachment ser aprovado no Senado, são necessários dois terços dos senadores presentes – 67 de 100, se a casa estiver com quórum cheio. Se o impeachment for aprovado, os senadores podem fazer uma segunda votação, exigindo apenas maioria simples, para proibir Trump de ocupar cargo público para sempre.

Leia mais: Assine a Crusoé, a revista que não tem medo de apontar os verdadeiros culpados pelas mazelas brasileiras.
Mais notícias
TOPO