Procuradoria da Espanha pede prisão de políticos catalães

O Ministério Público da Espanha pediu a prisão, sem direito a fiança, de todos os integrantes do governo regional da Catalunha. As acusações são de rebelião, sedição e malversação de recursos.

O pedido, nesses termos, não alcança Santiago Vila, para quem a Procuradoria solicitou prisão evitável, sob fiança de 50 mil euros. Ele renunciou antes de o Parlamento catalão votar a declaração de independência.

Carles Puigdemont fugiu da Espanha. Está na Bélgica, mas nenhum país da UE lhe dará refúgio.

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;

Ler 9 comentários
  1. E o Putin, LÍDER INVASÃO BÉLICA NO TERRITÓRIO DA CRIMEIA, continua completamente IMPUNE. Bando de vermes burocratas. Pessoas fazem comércio, estados fazem guerra.

  2. Sobre malversação de recursos, existem informações de que é algo parecido com aquilo que ocorre por aqui, inclusive com a participação de Andorra. E com a separação os culpados se livrariam de ações das autoridades espanhola.
    Já observaram a bandeira que aparece nos movimentos separatistas da Catalunha? Já observaram que os separatistas tem apoio de Nicolas Maduro, Luciana Genro e outros vermelhos? O PODEMOS espanhol, que é um partido equivalente ao PSOL aqui no Brasil , é que mais fomenta o separatismo da Catalunha.

  3. Se me fosse dado o poder de apagar duas obsessões inscritas na natureza humana, eu eliminaria a religiosidade e o nacionalismo. Não é que nunca tragam nada de bom, mas o número de guerras que já causaram e o volume de sofrimento que já disseminaram fazem com que a contabilidade seja-lhes francamente negativa. Mas, como não tenho o poder de suprimir nada, religiosos e nacionalistas podem ficar sossegados.
    .
    O que me assusta na novela catalã é a irracionalidade dos cálculos dos separatistas. Do lado dos ganhos está apenas a realização do desejo, até meio infantil, de dizer que são independentes. Do lado das perdas, contam-se a exclusão do mercado da Espanha, a exclusão do mercado da União Europeia, a perda de investimentos e a fuga de empresas.
    .
    A revolta talvez se justificasse se Madri impusesse um regime de terror e perseguição aos catalães, mas isso deixou de ser o caso desde a redemocratização da Espanha nos anos 1970. Enfim, custa-me crer que seres racionais, que façam contas e ponderações antes de agir, possam escolher mesmo a separação. O perigo do nacionalismo e da religião é justamente que eles turvam a razão, fazendo as pessoas agirem contra seus melhores interesses.

    1. Falou o babaovo do papel higiênico esquerdista do canalha Frias. Nunca houve mais guerras e violências na história do mundo do que nos últimos cem anos e isto pouco tem a ver com religião ou nacionalismo, seu canalha analfabeto. Mas pega bem repetir lixo para pagar de intelectual.

  4. Situação difícil a dos catalães. Aspiram a independência, a defesa da sua cultura, da sua língua, do seu território, etc. Mas, sem respaldo internacional, teem pouca chance. E, do outro lado, teem um colonialista impiedoso e cruel, que não lhes dará chance alguma. Pobre povo catalão.