Recontagem no Wisconsin aumenta margem em 87 votos para Biden

Recontagem no Wisconsin aumenta margem em 87 votos para Biden
Foto: Official White House Photo by Shealah Craighead

A recontagem pedida por Donald Trump em dois condados do Wisconsin não terminou como o presidente esperava.

Agora há pouco, no começo da tarde deste domingo (29), as autoridades do condado de Dane anunciaram o fim da recontagem. O resultado foi um ganho líquido de 45 votos para Trump.

Foram anulados 91 votos para Biden e 46 votos para Trump. A maior parte dos votos foi anulada porque eram votos enviados pelo correio cujos envelopes não tinham assinatura do eleitor ou de uma testemunha, ou careciam de endereço da testemunha.

Scott McDonell, secretário do condado de Dane, acrescentou: “Para mim o que esta recontagem mostrou foi não haver qualquer evidência de fraude nesta eleição, mesmo depois de olhar mais de 300 000 cédulas, mais de 254 000 envelopes”.

Dane é onde fica Madison, capital do Wisconsin.

Mas na sexta-feira (27), autoridades do condado de Milwaukee, onde fica a maior cidade do estado, também anunciaram o término da recontagem. O resultado: um ganho líquido de 132 votos em favor de Joe Biden. No total, foram cerca de 460 000 votos no condado. Segundo o jornal local Milwaukee Journal Sentinel, a maior parte dessa diferença se deve ao fato de que os tabuladores descobriram 386 votos que não haviam sido contados.

Somando as duas recontagens, Biden teve ganho líquido de 87 votos.

A vantagem de Biden no estado é de cerca de 20 000 votos.

A campanha de Trump pagou US$ 3 milhões pela recontagem nos dois condados.

Leia mais: A revista que fiscaliza TODOS os poderes e conta com os melhores colunistas do Brasil.
Mais notícias
TOPO