ACESSE

Renegociação da dívida argentina tem mais um capítulo hoje

Telegram

Duda Teixeira, na Crusoé, informa que vence hoje uma parcela da dívida do governo da Argentina com credores privados. O valor, de US$ 566 milhões, provavelmente não será pago. Ainda assim, a reação não será de espanto.

O prazo para a renegociação foi adiado pela quinta vez e vai até o dia 24 de julho, e a chance de um acordo entre o governo argentino, de um lado, e os credores privados e o FMI, de outro, tem aumentado nos últimos dias.

“O FMI geralmente ocupa o papel de policial nas negociações, pressionando o endividado. Desta vez, foi o FMI que se dirigiu aos credores dizendo que eles deveriam aceitar um valor menor”, disse à Crusoé o cientista político argentino Guillermo Rodríguez, da consultoria Prospectiva, em Buenos Aires.

O outro fator é a pandemia da Covid-19. Como a economia argentina entrou em seu terceiro ano de recessão com o novo coronavírus, a possibilidade de o país não conseguir honrar os seus compromissos cresceu. “Os credores passaram a se preocupar mais sobre o quão sustentável será a dívida para a Argentina. Do contrário, poderiam ficar sem nada”, afirma o analista de risco político Gabriel Brasil, da Control Risks.

Leia mais aqui.

Leia mais: A guinada de Bolsonaro para ficar no poder

Comentários

  • Nando -

    Pelo visto Gabriel Brasil não entende nada do que está falando ...

  • Oliveira -

    A Argentina deveria realizar um vigoroso programa de redução de gastos públicos e, ao mesmo tempo, outro de privativacao. Contudo...

  • Theo -

    Governo Bolsonaro tá fazendo isso sozinho, precisa de ajuda de ninguém não.

Ler 7 comentários