Se…

Na chegada a Nova York para acompanhar o 8 de novembro, O Antagonista ouviu o óbvio que precisa ser registrado: se Hillary Clinton vencer, terá — antes de qualquer outra coisa — de lidar com os desafios de “governar para todos os americanos” e de se segurar na Casa Branca diante de tantos escândalos que a rondam.

Hillary de papelão: comitê de campanha em Cleveland, em Ohio

Faça o primeiro comentário