ACESSE

Se não há prova contra...

Telegram

O procurador Robert Mueller, que durante dois anos investigou a suposta interferência da Rússia na eleição de Donald Trump, deu a seguinte declaração hoje, como publicamos:

“Se estivéssemos convencidos de que o presidente não cometeu um crime, teríamos dito.”

Basicamente é o mesmo que afirma o seu relatório final: que não há prova de que Trump cometeu qualquer crime, mas também não há prova do contrário.

In dubio pro reo, senhores.

Trump pode, sim, comemorar.

"Nem oito, nem oitenta": leia artigo de Ana Paula Henkel sobre o embate entre Bolsonaro e a oposição. Leia mais

Comentários

  • Elton -

    'In dúbio pro reo, senhor'. Desde que este senhor não se chame Luís Inácio Lula da Silva, assim tem sido.

  • Luiz -

    É como provar que os unicórneos não existem. Ou que você não tomou um cafezinho depois do almoço.

  • Cidadão -

    Trump conseguiu esconder muito bem os seus crimes.

Ler 53 comentários